quinta-feira, 4 de outubro de 2012

LEITURA E VOCABULÁRIO

Será que estimular a técnica de adivinhar as palavras através do contexto, aquando da leitura de um texto por aprendentes de português língua estrangeira, é a melhor opção? Como nos certificamos de que o aluno fez a inferência correta?
De acordo com esta modalidade de leitura, para a obtenção apenas do sentido global do texto, sem recurso a dicionários ou a exercícios de explicitação de vocabulário, a informação lexical será captada “de modo natural” durante o processo de exposição a input escrito que a leitura extensiva potencia, independentemente do propósito de reatualizar/retomar essa informação num momento ulterior da aprendizagem. Mas eis alguns dados que põem em causa a eficácia de uma abordagem não estratégica do texto (modificado ou não):
• De uma maneira geral o aprendente tende a ignorar as palavras desconhecidas, fixando-se no esforço de apuramento do sentido da frase/sequência;
• A associação significado-forma da palavra raramente é retida;
• O risco de ocorrência de inferências contextuais erradas é elevado;
• Na maioria das vezes, aquilo que o aprendente consegue apurar por inferência não vai além de um sentido aproximado da palavra (por exemplo, algo negativo ou movimento para a frente).

Sem comentários:

Enviar um comentário